|

terça-feira, março 08, 2005

Estamos Vivos!

E alertas também! Apesar de um grande período letárgico, consumidos por outras projectos, nem por isso cá deixámos de vir cá dar uma palavra, sob pena deste blog desaparecer das (poucas) listas de links em que está inserido.
E falar sobre o quê neste post? O costume, desculpem lá. O Algarve está de seca, e mais seco ficará quando no verão os greens de golfe consumirem a pouca água que nos resta. Supotamente vamos ter um secretário de Estado da agricultura (fala-se em Miguel Freitas) e Isilda "Gotta get them all" Gomes como Governadora Civil. Mas pronto, isto é tudo proveniente de mentideros.
No que diz respeito às CM's, a maior balbúrdia pré-Dezembro passa-se no Barlavento, com o PSD a assumir-se como o principal protagonista, quer pela positiva, quer pela negativa. Pela positiva, por apresentar António José dos Santos como alternativa ao paquidérmico Tuta, no que diz respeito à CM de Monchique. Por outro lado, o PSD de Portimão parece uma intriga vinda dos "Morangos com Açucar", "Queridas Feras" ou do armário do Paulo Portas, com a concelhia a apresentar um candidato e muitos miliantes locais a vociferarem a sua oposição, dando como sugestão o eterno Carlos Martins (será que o homem não se farta de perder?) ou o Piscarreta de Lagoa.
Como 3ª força política no Algarve, surgiu nesta eleições o BE. Tão bom resultado conseguiram no Algarve, que Portimão até ficou a 9ª cidade mais BE do país! Por outro lado, o PCP levaou mais uma machadada no Algarve (infelizmente), com a sua acção a demonstrar muita carolice e poucos objectivos (em termos de resutados eleitorais). O CDS também levou uma abada, mas esses não fazem falta a ninguém, sobretudo depois do lindo exemplo dado pelo caso do retrato do Freitas.
Portagens? Tenho a infeliz impressão de que se vão efectuar, mesmo sendo o ministro das obras públicas um ex-comunista (mesmo sendo dissidentes, normalmente são dos gajos mais porreiros dentro do PS).
Faro Capital da Cultura 2005? O teatro está quase pronto, disso não haja dúvida, agora programação que salte à viste, só o anuncio da baertura com a London Symphonic Orchestra e pouco mais. Algo me diz que não será tão inovador quanto Coimbra... O que é pena, porque, tirando alguns carolas, esta região é um marasmo cultural e este evento podia ser o gatilho de uma mudança nos habituais dos algarvios.
De resto, o que é que salta mais à vista? Digam vocês, façam uso da caixa de comentários...